Linux Para DBAs SQL Server 05 – Tools

Irei quebrar este post em diversos para dar ênfase a cada uma das ferramentas.

mssql-conf

A primeira ação após instalar um SGBD independente de qual seja é dedicar um tempo para sua configuração.

Após a instalação do SQL Server no Linux, faz-se necessário configurar o mesmo e para isso é necessário conhecer a ferramenta. Tal como acontece no sistema operacional Windows Server, onde temos um programa para configurações chamado SQL Server Configuration Manager ou ainda, se instalarmos no Windows Server Core (sem interface gráfica) podemos utilizar diversos comandos de prompt e edição de registros para configurar e personalizar o SQL Server.

O mssql-conf é um script que chama um “.py” escrito em Python 2 e tem a função de auxiliar nas configurações de:

  • Traceflags;
  • Porta TCP;
  • Transport Level Security (TLS);
  • Limites de máximo e mínimo de memória;
  • Collation;
  • Diretórios padrões para arquivos de log, dados, dump de memória e backup;
  • Telemetria;
  • Tipo de dump de memória;
  • Alta disponibilidade;
  • Diretório de arquivos de auditoria;
  • Configurações de regionalidade;

Esta ferramenta encontra-se no diretório /opt/mssql/bin/ e estando neste diretório basta executar ./mssql-conf + parâmetro. Para executar é necessário ter permissão de super usuário.

O exemplo abaixo mostra como utilizar o parâmetro setup que é o responsável pelas configurações iniciais do SQL Server:

O exemplo acima em um RedHat Enterprise Linux, mostra como alterar a edição do licenciamento após o SQL Server já ter sido instalado. Já o exemplo abaixo é o mesmo parâmetro em uma recém instalada instância no Ubuntu.

Veja que no primeiro bloco do comando, você será questionado sobre aceitar os termos de licença. Já no segundo bloco, a edição que você está instalando, a seguir a senha do System Administrator (SA) e por fim o serviço será inicializado.

O parâmetro set-as-password é autoexplicativo, mas vale o destaque para a importância, obviamente é necessário ter permissão de super administrador (root) para poder executar o mssql-conf. Assim como no parâmetro anterior é necessário parar o serviço para alterar a senha de SA.

Para alterar a collation de uma instância no SQL Server para Windows, utilizamos o setup para fazer o rebuild dos bancos de sistema. No Linux não será diferente, o parâmetro set-collation irá reconstruir os bancos de sistema com a collation selecionada.

Ficou interessado em ver o código do mssql-conf.py?

Sim, você pode acessar! Utilize o comando abaixo:

[sqlcrespi@lxSQL /]$ cat /opt/mssql/lib/mssql-conf/mssql-conf.py

As próximas ferramentas abordadas aqui, em ambas distribuições, encontram-se em /opt/mssql-tools/bin/

Na continuação veremos o BCP.

Abraço, Rodrigo

Anúncios

Author: SQLCrespi

Rodrigo Crespi é MVP Data Platform, MCT, MCSE, MCSA, MCIT, MCDBA e MCP em SQL Server, possuí outras certificações em .NET Framework, Dynamics CRM e etc. Iniciou trabalhando com SQL Server na versão 6.5 na época como desenvolvedor, logo direcionou a sua carreira para a área de administração de bancos de dados. Atualmente é Sócio da CrespiDB – Soluções em Plataformas de Dados, além de professor universitário na Uniftec – Caxias do Sul Autor de diversos artigos publicados em sites e revistas sobre SQL Server e engenharia de software, mantem o canal SQLCrespi no Youtube, o blog SQLCrespi, além de ser dedicado ao SQL Server RS PASS Chapter Leader do grupo de profissionais em SQL Server do Rio Grande do Sul.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.